Jovem advogada consegue importante vitória na justiça para a afirmação do interesse público na defesa dos direitos humanos

Líder e partido Chega têm 30 dias para publicar retratação pública das ofensas dirigidas à família a quem chamaram “bandidos” e “bandidagem”. “Com esta decisão, ficamos a saber que a humilhação de pessoas negras e pobres não pode ser uma arma retórica à disposição de atores políticos”, diz a advogada da família, Leonor Caldeira, destacando que “Num Estado de direito democrático, são os tribunais que definem as linhas vermelhas da liberdade de expressão […] para a afirmação dos direitos humanos e para proteção do direito fundamental à honra e à imagem de todos.”

Leia mais no Diário de Notícias.

Notícias Relacionadas

Este website utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Para mais informação consulte a nossa Política de Cookies.