A JUSTIÇA PORTUGUESA PRECISA DE UMA “REVOLUÇÃO”?

A ProPública coordenou o grupo de reflexão sobre a situação na justiça em Portugal, no âmbito da conferência ‘O Poder de Fazer Acontecer’ promovida pelo Jornal de Negócios. Segundo Agostinho Pereira de Miranda, presidente da ProPública, “é patente que a Justiça se tornou um fator de bloqueio do país e de descrédito da Democracia. Temos leis arcaicas e ineficazes, formuladas sem estudo e paridas sem gestação, mas a responsabilidade disso vai inteirinha para o poder político, nomeadamente para os partidos do centro e os sucessivos Presidentes da República. Esta Justiça precisa de uma revolução – di-lo a insuspeita SEDES – ou, pelo menos, de uma urgente revisão constitucional”.

Leia a notícia na íntegra no Jornal de Negócios.

Notícias Relacionadas

CERIMÓNIA DE ENTREGA DO PRÉMIO NELSON MANDELA 2024

No dia 18 de julho, às 18h30, o Auditório CGD do ISEG será palco da cerimónia de entrega do Prémio Nelson Mandela 2024 a António Garcia Pereira, advogado e antigo docente do ISEG.

Este website utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Para mais informação consulte a nossa Política de Cookies.